Impulsionada pela construtora em florianopolis, avanço tecnológico e incerteza ecológica, a necessidade de sustentabilidade nas cidades criou uma oportunidade para os designers fazer uma pausa e considerar como será a vida nos próximos 20, 50 e 100 anos. É um momento que definirá não apenas como serão as futuras cidades, mas também como elas se sentirão.

O design da densidade nas cidades está no topo da agenda de designers urbanos e planejadores urbanos. Com 55% da população mundial vivendo em cidades, e esse número deverá aumentar para cerca de 68% nas próximas décadas, precisamos projetar ambientes de vida mais compactos.

O rápido crescimento orgânico e o zoneamento resultaram na expansão de áreas urbanas. Edifícios de baixo a médio porte se espalham cada vez mais longe dos centros das cidades, exigindo infra-estruturas de transporte complexas para manter todos e tudo conectado. Para se preparar para o crescimento populacional e as mudanças climáticas, a densificação será essencial. Edifícios multifuncionais que permitem que os inquilinos trabalhem, morem e prosperem em um edifício ou área são o ponto de partida ideal para uma vida mais compacta.

Precisamos garantir que edifícios multifuncionais possam acomodar a confusão inerente da vida e a natureza turbulenta da humanidade.

A densidade nas cidades cria oportunidades de acessibilidade, opções de transporte melhores e mais baratas, uso mais eficiente de energia e ambientes de vida mais flexíveis, como espaços de convivência e de trabalho. Edifícios multifuncionais criam um espaço compacto para os moradores da cidade. A linha entre nossos espaços de vida e de trabalho fica turva, pois tudo e todos se aproximam um pouco.

Quando apresentados com imagens da construtora florianopolis, os designers geralmente nos mostram uma visão gentrificada do mundo, onde morar mais próximo parece aconchegante, amigável e inimaginavelmente limpo. Vemos vizinhos sorridentes agrupados em belos espaços comuns, café na mão, enquanto os pequenos brincam com segurança na rua tranquila, cercada por árvores. Mas, embora essa imagem idílica do futuro seja ensolarada e ensolarada, ela não é realista desde que o design centrado no homem não seja priorizado ativamente pelos principais impulsionadores do setor.

Precisamos garantir que edifícios multifuncionais possam acomodar a confusão inerente da vida e a natureza turbulenta da humanidade. A vida compacta cria oportunidades de colaboração e comunidade e facilita as refeições compartilhadas e o fortalecimento dos relacionamentos. Como humanos, estamos conectados à conexão; é essencial para a nossa felicidade, saúde e bem-estar. Mas, por outro lado, se as pessoas estão metaforicamente (mas talvez também fisicamente!) Pisando nos dedos umas das outras, viver tão perto dos outros pode causar atrito e tensão. Priorizar a construção da comunidade pode garantir uma experiência positiva e vibrante para os habitantes e percorrer um longo caminho para garantir a longevidade do edifício.

construtora florianopolis

4 coisas a considerar ao construir uma comunidade

  1. Desenho participativo

Projetos voltados para a comunidade, como Assemble e Nightingale Project, criaram modelos orientados para a comunidade que envolvem inquilinos durante todo o processo de design e construção. Convidar os futuros habitantes a investir em seus espaços, antes de se mudarem, permite que eles façam parte do processo de design. Também abre oportunidades para as pessoas se encontrarem antes de se tornarem vizinhos.

Reuniões regulares de planejamento fornecem uma plataforma para o desenho participativo, acolhendo idéias da comunidade e incentivando as pessoas a trabalharem juntas através de desafios e desenvolvimentos. Esses desafios promovem a sensação de que quaisquer problemas que possam surgir podem ser resolvidos juntos, por meio de canais abertos e claros de comunicação e colaboração. A inclusão da comunidade na construção e no design desenvolve um senso de propriedade compartilhada e responsabilidade mútua, levando a um maior cuidado com o espaço assim que os inquilinos se mudam.

A mesma abordagem pode ser aplicada a edifícios feitos pela construtora florianópolis já cheios de inquilinos, incluindo a comunidade em decisões futuras e o gerenciamento contínuo do edifício, sempre que possível.

Principais conclusões:

Convide os inquilinos a investirem no edifício antes do início dos trabalhos.

Envolva os inquilinos na modelagem da aparência do edifício e envolva-os nas decisões tomadas durante o processo de design.

Realize encontros e crie um espaço para colaboração e para que relacionamentos e amizades positivas sejam construídas.

Desenvolva um senso de propriedade mútua e responsabilidade compartilhada entre a comunidade.

Continue a envolver os inquilinos nas mudanças em andamento no edifício e gerenciamento de edifícios.

  1. Oportunidades de projeto para conexão

Ao considerarmos os diferentes elementos de um edifício, precisamos descobrir oportunidades para os habitantes se conectarem. Criar pequenos “bolsos” de espaços acolhedores em seu prédio pode proporcionar ótimos lugares para os vizinhos se encontrarem acidentalmente, organizarem eventos juntos ou até celebrarem aniversários. Por exemplo, tornar a escada um pouco mais larga incentivará as pessoas a parar e conversar sem atrapalhar a passagem de outras pessoas.

O design do apartamento campeche, com áreas confortáveis ​​e acolhedoras para as pessoas se sentarem e relaxarem, abrirá espaço para as pessoas comerem, beberem e relaxarem juntas. Muitas vezes, os lobbies dos hotéis são um ótimo exemplo disso. A inclusão de cozinhas comunitárias também pode ser um ótimo local para as pessoas se reunirem nas refeições e nas celebrações.

Embora ninguém possa forçar a construção de relacionamentos, você pode criar um ambiente positivo e estimulante para acomodar os altos e baixos da vida compacta. Reunir as pessoas com o objetivo de diversão, entretenimento e conexão é a chave para o sucesso do edifício.

Principais conclusões:

Inclua amplos espaços abertos para que as pessoas se encontrem e conversem enquanto se movem pelo edifício.

Inclua áreas comuns para cozinhar e jantar juntos, com espaço suficiente para todos.

Crie “bolsos” de espaço multifuncional para facilitar eventos, celebrações e atividades em grupo.

  1. Criando atmosfera (experiência sentida)

A atmosfera de design da cobertura campeche é menos tangível do que o design, digamos, de uma planta baixa. No entanto, todos sabemos o quão crucial é uma boa atmosfera para uma boa experiência de um lugar. A atmosfera que você sente em um pub aconchegante diante de uma lareira quente e acesa com iluminação amarela suave está longe da experiência que você tem em uma sala de espera de hospital em uma cadeira de plástico fixada na parede, olhando para paredes brancas iluminadas por faixas azuis brilhantes iluminação. A “experiência sentida” é intangível e, portanto, um desafio para o design, mas existem algumas maneiras pelas quais podemos pensar sobre isso no contexto do ambiente construído.

cobertura campeche

Criar uma experiência multissensorial é fundamental. A “temperatura” de uma atmosfera pode determinar se nos sentimos quentes ou frios em relação aos outros. Isso não se refere à temperatura física, mas ao calor emocional que sentimos quando vemos alguém sorrir ou à sensação de frio que sentimos quando nos sentimos perdidos.

Materiais e texturas podem fazer com que um espaço seja mais quente, suave e acolhedor. Tapetes, almofadas e móveis macios podem aquecer rapidamente um espaço. A incorporação de elementos naturais, como madeira e plantas, pode ajudar as pessoas a se sentirem mais relaxadas e aterradas. Uma iluminação brilhante e quente pode garantir que as pessoas se sintam seguras e confortáveis, incentivando-as a sentar e ler ou beber chá juntas. Iluminação ajustável que pode ser adaptada de acordo com o uso do espaço. Incluir música relaxante suave ou sons da natureza pode criar espaço para relaxamento e calma.

Criar uma experiência multissensorial abre várias maneiras de ajudar as pessoas a se sentirem mais confortáveis ​​em um espaço. Também pode ajudar a determinar quanto tempo alguém passará em um espaço e como eles se moverão através dele. Eles ficarão muito tempo? Ou eles vão se apressar? A criação de uma rota direta permitirá que as pessoas corram direto, enquanto a criação de um caminho sinuoso entre plantas e móveis atrasará sua jornada. A quantidade de tempo que as pessoas se sentem à vontade em um espaço determinará com que sucesso uma comunidade é construída. Se as pessoas não se sentirem à vontade para ficar, qualquer oportunidade de parar, conversar e compartilhar será perdida.

Principais conclusões:

Leve em consideração a experiência sentida de seus inquilinos e crie uma atmosfera que ajude as pessoas a se sentirem seguras e confortáveis.

Crie espaços multi-sensoriais acolhedores e acolhedores.

Tornar espaços adaptáveis ​​para diferentes usos; coisas como iluminação e móveis têm um enorme impacto no tipo de eventos ou conversas realizadas em um espaço.

Crie espaços que incentivem as pessoas a parar e ficar por um tempo, abrindo oportunidades para que as pessoas desacelerem e se conectem.

  1. Privacidade

A vida compacta exige que as pessoas se sintam confortáveis ​​com a intimidade, pois isso significa menos privacidade e menos espaço. Embora as oportunidades de conexão sejam fundamentais, a privacidade deve ser considerada uma prioridade. Para se conectar melhor aos outros, as pessoas precisam de seu próprio espaço e privacidade. Ser capaz de reservar um tempo para si mesmo e sentar-se em silêncio e quietude permitirá uma melhor conexão com os outros e proporcionará espaço pessoal às pessoas. Isso promove maior saúde e bem-estar entre os habitantes.

Além dos aposentos pessoais dos inquilinos, os espaços externos podem proporcionar oportunidades para os indivíduos passarem o tempo sem serem interrompidos por outros inquilinos. Pequenos cantos e áreas escondidas atrás de paredes ou cortinas podem proporcionar áreas de solidão e tranquilidade. Cortinas em trilhos circulares que podem ser colocadas em torno de cadeiras confortáveis ​​para criar pequenas salas de leitura e telas simples podem ser usadas para dividir os espaços comuns conforme os inquilinos exigem. O mobiliário modular pode permitir que os quartos sejam adaptados facilmente para múltiplas funções e para criar espaços privados.

Principais conclusões:

Priorize a privacidade e o espaço pessoal para a saúde e o bem-estar dos inquilinos.

Incorpore pequenos cantos e áreas “ocultas” para acomodar indivíduos que possam precisar de tempo por conta própria.

Use móveis adaptáveis ​​e modulares para permitir que os inquilinos criem pequenos espaços em áreas comuns maiores.

A consideração e a priorização desses quatro métodos de design centrados no ser humano nos permitirão construir comunidades fortes e comprometidas e ambientes domésticos acolhedores, o que, por sua vez, permitirá que as cidades prosperem através da densificação.

Encontre imobiliárias, Casas para alugar, Apartamentos para alugar, Comprar apartamentos, Apartamentos perto de mim
Encontre imobiliárias, Casas para alugar, Apartamentos para alugar, Comprar apartamentos, Apartamentos perto de mim

Entre em contato conosco

Enviar Mensagem